Tag Archives: Evento

Mochilão Record 2016 – PoA

9 Jun

No último domingo, 5 de junho, aconteceu na livraria Cultura do shopping Bourbon Country, em Porto Alegre, o Mochilão Record. O evento que acontece em várias capitais do Brasil tem esse nome, pois os organizadores pedem para levar mochila porque os participantes ganham muitos livros de brinde, além dos sorteios e descontos acontecendo na livraria com os títulos da editora. Eu só ganhei o que está na foto abaixo, mas muitos saíram de lá com mais livros e duas sortudas ganharam “cheque-livros” no valor de 250 reais cada.

Continuar a ler

Anúncios

6º Making Of da FAC/UPF

25 Abr

Como ex-aluna de Jornalismo da UPF fui convidada para o Making Of deste ano para relatar um pouco da minha experiência no mestrado e sobre a minha pesquisa (fãs e a prática de scanlation). Será nesta quarta-feira de manhã, após palestra do meu orientador, o prof. Dr. Francisco Menezes Martins. A entrada é gratuita, portanto quem tiver interesse e estiver em Passo Fundo não pode perder!! ;P 


Confira mais informações retiradas do site da UPF:

 Jornalismo e mídias digitais são temas do Making Of 2011

Sexta edição do evento ocorrerá entre os dias 26 e 28 de abril no auditório da pós-graduação de Agronomia, prédio G4, no Campus I da UPF

A Faculdade de Artes e Comunicação (FAC) da UPF inicia nesta terça-feira a sexta edição do Making Of. O evento, já tradicional no calendário acadêmico, traz para debate os temas jornalismo e mídias digitais. As atividades acontecem no Auditório da Pós-graduação em Agronomia, prédio G4, no Campus I da UPF e se estendem até o dia 28. A entrada nas palestras é gratuita.

Profissionais de jornalismo e pesquisadores da área de cibercultura abordarão aspectos ligados à comunicação no mundo digital e suas influências no cotidiano, tanto do público em geral quanto de profissionais da área. As palestras que acontecem pela manhã se repetirão durante as noites. A programação inicia a partir das 8h30 e das 19h30 respectivamente. As inscrições podem ser realizadas pelo site da UPF no link Eventos e cursos (www.upf.br/eventos).

Programação

Na terça-feira (26), pela manhã, a palestra de abertura será de Valéria Marcondes, jornalista graduada pela UPF em 2004 e com mestrado e doutorado em Comunicação pela PUCRS, estudiosa da relação das tecnologias da informação e da comunicação no jornalismo e nos processos democráticos. Além de atuar como docente, Valéria tem experiência em assessoria de comunicação, pesquisa acadêmica e de mercado e jornalismo político. Na sequência, as ex-alunas Fernanda da Costa e Bruna Todescato trazem relatos de experiência profissional. A programação será repetida à noite.

A conferência de quarta-feira (27) será do professor Francisco Eduardo Menezes Martins, graduado em jornalismo pela PUCRS e doutor em Comunicação pela Universidade Complutense de Madri, além de pesquisador do mestrado e doutorado em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná. Menezes é autor dos livros “Além da Cibercultura”, “Impressões Digitais – comunicação, cibercultura e pensamento contemporâneo”, “Digital Demasiado Digital” e “Aurora Digital”, e pesquisador da área, além de atuar como repórter especial do Grupo RBS e correspondente internacional do jornal mexicano El Mundo del Siglo XXI na Espanha. Desde o início do ano faz parte do quadro de professores da FAC no curso de jornalismo. Também haverá o relato de experiência de Giovana Carlos, ex-aluna UPF.

No último dia do evento, na quinta-feira (28), acontece a palestra do professor Adriano Canabarro Teixeira, graduado em Ciência da Computação, com mestrado em Educação na UPF e pós-doutor na área de Ensino a Distância (EaD) na UFRGS, também pesquisador da área de cibercultura e inclusão digital. Na sequência, haverá relatos de experiência com Os Armênios.

IV Encontro de Egressos do PPG em Comunicação e Linguagens da UTP

22 Nov

 

Shinobi Spirit Matsuri Edition

10 Nov

Neste final de semana acontece o Shinobi Spirit Matsuri Edition 2, em Curitiba. O ingresso antecipado é 10 reais, na hora, 15.

> Confira os detalhes do evento no site clicando aqui, ou siga no twitter, aqui <

Além da programação usual de eventos de cultura pop japonesa, o Shinobi Spirit vai sortear 5 ingressos para o show da Pitty que ocorre no dia 10 de dezembro no Curitiba Master Hall.

2º Encontro Sul Brasileiro de Comunicação Organizacional

30 Set

A Universidade do Vale do Itajaí (Univali) promove no final de outubro o 2º Encontro Sul Brasileiro de Comunicação Organizacional com o tema “Na era digital e da interatividade“. A programação conta com 2 painéis por noite (6 no total), mais 2 mini-cursos no período da tarde:

As inscrições podem ser feitas até o dia 22/10 ao custo de 1o  reais para alunos/docentes de graduação/pós-graduação e 20 reais para profissionais e comunidade em geral. No dia do evento custará R$ 30 para todos.

Para se inscrever no mini-curso é preciso pagar 10 reais (cada). As vagas são limitadas.

“Foi muito legal! Conseguimos!”

15 Ago

A frase a cima foi dita pelo organizador do HQCon, Diego Moreau, ao final do evento que aconteceu neste sábado, dia 14. A princípio, mais de 700 pessoas (a contagem oficial ainda está sendo feita, e provavelmente será bem maior esse número) estiveram em Florianópolis/SC para curtir um dia inteiro de palestras e demais atividades envolvendo quadrinhos.

Mais do que lazer, entretenimento e consumo, o HQCon trouxe o debate. Profissionais e pesquisadores de quadrinhos expuseram ao público suas ideias, experiências, expectativas para o futuro, deram dicas e muito mais. Eram roteiristas, desenhistas, tradutores, jornalistas, publicitários, animadores formando mesas temáticas que deram conta de mostrar um pouco de quem trabalha para o exterior e para o Brasil. Além disso, mostrando que os quadrinhos não vivem isolados, se alimentam e servem de inspiração para a música e para diversas mídias.


Panorama geral

Através das diversas mesas temáticas, essas foram as principais questões levantadas e recorrentes:

Primeira mesa temática: “O Brasil no caminho da animação”, com os estúdios AnimaKing e Cafundó.

Mesa “Quadrinhos autorais” com (da esq. a dir.) Pedro Franz, Daniel Esteves, Cadu Simões e Felipe Meyer.

Mesa composta por (da esq. a dir.) Eddy Barrows, Mário Luiz C. Barroso, Erico Assis, Gabriel Rocha e Ricardo Manhães.

A internet como divulgação de trabalho, contato ou networking, oportunidades, visibilidade e alcance maior de público comparando com o que um impresso poderia ter.

– Muitos ressaltaram a busca por editais e empresas para financiar as produções.

– As diferenças entre o mercado norteamericano e francês (estendo um pouco para o europeu).

– O futuro das HQs em relação ao digital, como por exemplo, através de leitores como o iPad.

– A evidência de jornalistas e críticos despreparados e muitas vezes falando bobagens sobre as obras.

*

Frases, desabafos, momentos dos palestrantes:

Poli Graciano: sobre a animação no Brasil falou que é mais fácil começar em agências de publicidade, ressaltando que “é difícil, demorado, mas é preciso insistir!”.

Cadu Simões: “Quadrinho é quadrinho. Não importa a mídia”. Explicou que nunca conseguiu levar a sério os super-heróis, por usarem cueca em cima das calças e coisas do tipo. Salientou que muitos confundem quadrinhos autorais com alternativos, mas não tem nada a ver.

Mario Luiz C. Barroso: “No fundo todo leitor de HQ é um grande noveleiro”.

Contou que em conversa com o editor Fernando Lopes este teria dito que 15 anos atrás não faria traduções, pois não havia o google, que hoje ajuda para buscar referências nas obras em tradução.

Felipe Meyer: enfatizou que não basta ter HQs nas bibliotecas, é preciso investir em bibliotecários que possam sugerir as leituras.

Ricardo Manhães: comentou como na França todo e qualquer tipo de HQ vem em capa dura, algo que julga difícil de implementar no Brasil pois iria encarecer muito o material. Disse que os editores franceses não querem vender absurdamente e buscam fazer produto personalizado, além de ter prazos de até 6 meses para criar um álbum, que poderá ficar por 10 anos em venda.

Eddy Barrows: contou que no máximo tem 40 dias pra entregar uma HQ, e que em prazos mais puxados já chegou a fazer 4 páginas por dia. Também falou que nos anos 90 os brasileiros eram vistos com desconfiança pelos editores estrangeiros, principalmente pela falta de ambientação, conhecimento do local de origem do personagem. Contou que a primeira vez que mostrou seu trabalho, o editor perguntou a cidade que havia desenhado, Eddy respondeu Nova York e o editor lhe disse que não era. O motivo: os prédios não eram tão grandes como os arranha-céus de NY, ele havia desenhado com base nas construções da cidade que conhecia Belo Horizonte.

Exposição de escultura de Leandro Chaves.

Altos e baixos do HQCon:

O local: Floripa Music Hall foi um bom lugar, havia espaço para transitar, sem ficar esmagado. Foi a primeira vez que fui num evento e não enfrentei fila pro banheiro!

Comida: só tinha pizza pra comer! (Além de uma estande de guloseimas japonesas, o que acho complicado pra quem não curte muito como eu. Embora um pocky sempre é bem-vindo!). Pro próximo espero mais opções.

Cosplayers: como sou acostumada com eventos de cultura pop japonesa, esperava mais. Não estou reclamando dos que foram fantasiados, mas pensei que ia encontrar mais cosplay e, sobretudo, de histórias não japonesas. A maioria era de animê e games.

Palestrantes e discussões: a programação estava muito boa, e o que mais gostei foi de termos um panorama tanto internacional como regional, ouvindo profissionais de Floripa mesmo, até aqueles que trabalham pro exterior. E também trazendo às mesas jornalistas e pesquisadores acadêmicos de quadrinhos, os quais deram mais amplitude aos debates. Senti falta de alguém falando sobre mangá (em qualquer momento, não exatamente numa mesa sobre o assunto), mas como pesquiso isso, sou suspeita pra falar!

Intervalos e premiações: achei muito legal nos intervalos serem sorteados brindes para quem acertasse uma pergunta relacionada aos quadrinhos e afins. Assim como a premiação dos cosplayers envolverem bolsas de estudo para idiomas e graduação. A brincadeira acabou resultando num investimento cultural, talvez, mais importante do que se fosse em dinheiro. E também palmas para a dupla que tocou durante o desfile cosplay, ficou muito bom o som ao vivo! (Melhor ainda se num próximo tocassem só músicas envolvendo desenhos animados, filmes e relacionados ao evento…)

Horário: o grande ‘porém’ foi o atraso inicial de quase 2 horas que acabou fazendo com que a programação oficial fosse mudada, resultando em um menor tempo de fala para alguns dos palestrantes. Por isso, o evento terminou uma hora depois do previsto.

De forma geral, o HQCon estava muito bom! Quem passou por lá ou ficou durante todo o evento teve o que aproveitar!

Ano que vem tem mais!

Em breve conversa com o organizador, Diego Moreau, descobrimos que a ideia é continuar com o HQCon e mais do que isso expandi-lo para outros estados, especificamente em cidades onde há campus da Universidade Estácio de Sá, patrocinadora do evento, resultando em 2 ou 3 HQCons por ano no Brasil.

Nessa primeira edição, Moreau explicou que ficaram com medo de fazer mais de um dia de atividades, mas que provavelmente no próximo serão mais dias, pra não acontecer de montar uma programação corrida como dessa vez.

Mais do que um encontro, a proposta do HQCon é agregar pessoas, trazer pesquisadores para a discussão e no próprio site disponibilizar espaço para quadrinhistas iniciantes exporem seus trabalhos.

(Créditos das fotos: Giovana S. Carlos e Vivian Santana)

*******************************************

Atualização (16/08/10)

Resolvi postar aqui alguns links do que está sendo dito em sites e blogs sobre o HQCon, pra quem quiser acompanhar mais:

“hq-con bombou!”, por Rogério Christofoletti (blog Monitorando).

Ajoelhem-se perante ele”, por Romeu Martins (blog Cidade Phantástica).

“Tempos de quadrinhos”, por Marcos Espíndola (blog Diário Catarinense).

“Viva o HQCon!”, por Universo Colecionáveis (blog Universo Colecionáveis).

“Desenhar não é (só) coisa de criança”, por Jacqueline Iensen (site Diário Catarinense).

“Veja as fotos da 1ª HQCon em Florianópolis”, por Stephan Martins (blog Jovem Nerd).

“Fãs de quadrinhos lotam HQCon em Florianópolis”, por Gabriel Rocha (blog Quadriteca)

Atualização (17/08/2010)

“HQCon”, por José – que ganhou brinde por falar o juramento do Lanterna Verde (Blog no Fim do Universo)

“E começou a saga”, por Diego Moreau (site do HQCon)



O AniParaná Matsuri está de volta

11 Ago

No próximo final de semana, Curitiba sedia a segunda edição de um evento que mistura os festivais japoneses, conhecidos como Matsuri, com os encontros voltados para a cultura pop japonesa, os animencontros: o AniParaná Matsuri 2010.

Entre as atrações estão as palestras com o dublador Marcelo Campos (conhecido por dar voz a personagens de animês como Shurato, Pokémon, Fullmetal Alchemist, Dragon Ball Z e GT, Guerreiras Mágicas de Rayearth, entre muitos outros), no sábado, e no domingo, com os irmãos Ricardo e Rodrigo Piologo do Mundo Canibal (site de animações humorísticas, como a “Avaiana de Pau”, entre outros produtos).

Além das demais atividades sempre presentes nesse tipo de evento (concurso de cosplay e games, animekê, anime quiz, show de bandas), as salas temáticas parecem estar bem interessante: Centro Otaku (com brincadeiras), Irmãos de Armas (para RPG), Nextep Games (jogos eletrônicos de danças), P!WHO! (para ParaPara), Sarang in Gayo (para música coreana), Yume Daiki (para Matsuri dance e ParaPara) e Steampunk (que além de jogos, também fará desfile de fantasias e palestras).

>> A programação completa pode ser vista aqui. <<

*

AniParaná Matsuri 2010

Data: 21 e 22 de agosto

Horário: 11:00 às 19:00 horas

Local: Colégio Pe. João Bagozzi | Rua João Bettega, 1 – Portão | Curitiba – Paraná

Preço: antecipado 10 reais | na hora 15 reais

Informações: no site http://www.aniparana.com.br | no twitter @aniparana.

*

Programação do Intercom 2010

10 Ago

Foi divulgada hoje a programação dos trabalhos do XXXIII Intercom que acontece em Caxias do Sul/RS, de 2 a 6 de setembro.

Para quem não conhece, o Intercom é o maior evento da área da Comunicação no Brasil, onde profissionais, estudantes, professores e pesquisadores se reúnem para palestras, mesas temáticas e apresentação de artigos.

>> A relação de artigos conforme Divisão Temática (DT) e Grupo de Pesqusia (GP) pode ser vista aqui. <<

*

Bom, lendo os títulos dos trabalhos que serão apresentados alguns me interessaram bastante e outros me chamaram a atenção por alguns detalhes.

De cara encontrei um artigo que tem como tema o que pesquiso pra minha dissertação: scanlation. Ou seja, não vejo a hora de lê-lo! É o “Scanlation: Práticas midiáticas e sistema de dádivas na reprodução, circulação e consumo de mangá”, de Tatiane Hirata e Yuji Gushike (UFMT).

Outro que me chamou a atenção, por relacionar comics com mangá, é: “O Conceito de Imaginário Como Forma de Entender o Papel do Herói nas Histórias em Quadrinhos: uma Análise Comparativa Entre Superman e Samurai X”, de José Carlos Messias Santos Franco (UERJ)

*

Outros com temáticas interessantes:

Identificação dos Subgêneros Fanfílmicos Através dos Conceitos de Transtextualidade“, de Maurício Falchetti (UFMT), Andrea Ferraz Fernandez (UFMT), Marcelo Ricardo Miranda Espíndola (UNIDERP/ANHANGUERA)

Veja o Livro, Leia o Filme – Breve Reflexão Sobre Cinema, Autoria e Convergência Midiática“, de Luiza Lusvarghi (Uninove SP)

Excesso, esquizofrenia, fragmentação e outros contos: A história social de surgimento do videoclipe“, de Ariane Diniz Holzbach (UFF)

Nós somos Anonymous: anonimato, trolls e a subcultura dos imageboards“, de Fernando Israel Fontanella (UNICAP)

Infância Digital: A Criança e As Novas Tecnologias“, de Danuta De Cássia Leite Leão (UTP)

O mercado de trabalho e as novas funções do jornalista“, de Rogério Christofoleti (UFSC)

*

E por fim, alguns títulos um tanto peculiares que me deixaram muito curiosa:

Quem já riu de um filme de terror?”: distinção e sociabilidade no consumo de cultura trash”, de Mayka Castellano Reis (UFRJ).  (Euuuu! Várias vezes!! hahaha…)

Narrativas de bruxaria como expressões folkcomunicacionais: A cultura popular na ilha de Florianópolis/SC“, de Karina Janz Woitowicz (UEPG) (Preciso descobrir que história é essa de bruxaria aqui em Floripa!! Nunca ouvi falar…)

Cachaça, Turismo e Comunicação – Nas noites LGBT um trio que pode dar certo“, de Daniel Rezende Campos (Uni-BH) (Não precisa ser só nas LGBT!!! Hehehe!)

*

Além disso, notei que no GP Comunicação e Esporte boa parte dos artigos é sobre futebol e muitos levam no título a palavra “herói”… Aí já dá um tema pra um artigo: “A mistificação do jogador como herói no Brasil: uma visão acadêmica e/ou popular?”! Huahauhuah! 😛

*


A Ficção Científica na Literatura e nas Artes brasileiras

7 Ago

Nos dias 21 e 22 de agosto acontece em São Paulo o Invisibilidades III, evento promovido pelo Itaú Cultural voltado para a divulgação da Ficção Científica no país.

“Desta vez o tema é um saudável mix de literatura e artes visuais, com escritores, quadrinhistas, artistas plásticos e VJs dividindo o palco para falar de suas experiências, mostrar seus trabalhos e até mesmo apresentar performances”, escreveu em seu blog, Fábio Fernandes, curador e um dos mediadores das mesas temáticas.

Abaixo você confere a programação. Para mais informações acesse aqui.

*

Programação

21 de agosto (sábado)

15h30 mesa 1 Fora do Eixo – a Produção de Ficção e Crítica Literária no Brasil que Você não Conhece
com Alice Feldens, Arnaldo Mont’Alvão Quelciane Marucci
mediação Edgar Nolasco
Os participantes irão discutir a produção de obras de ficção científica fora do eixo Rio-São Paulo, com ênfase para o projeto e-ficciones. Criado pelos professores Edgar Nolasco e Armando Mont’Alvão, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, o e-ficciones visa fomentar a produção literária e crítica de ficção científica.

17h30 mesa 2 Quadrinhos Brasileiros: a Experiência no Exterior
com Daniel PellizzariRafael Grampá
mediação Octavio Aragão
Dois jovens e respeitados artistas brasileiros compartilham suas experiências na área dos quadrinhos. O objetivo é debater as possibilidades de criação de HQs dentro do gênero da ficção científica, no Brasil e no exterior.

19h30 Encerramento do dia: palestra e apresentação com Walmor Corrêa.

22 de agosto (domingo)

17h mesa 1 Ficção Científica e Estudos Culturais: Uma História Sem Fim
com Adriana AmaralCristiane Busato Smith
mediação Fábio Fernandes
Uma mesa para discutir Estudos Culturais no universo da ficção científica,lançando ao gênero um olhar mais acadêmico, convidando pesquisadores e jornalistas para um panorama abrangente dos desdobramentos dessa cultura, do fenômeno relativamente recente da subcultura da fanfiction até a obra do escritor britânico underground J. G. Ballard.

18h30 mesa 2 New Weird Fiction – Um Novo Estranhamento Literário
com Alexandre Mandarino, Nelson de OliveiraRichard Diegues
mediação Jacques Barcia
Os componentes da mesa opinarão sobre o presente e o futuro deste subgênero da literatura fantástica. Surgido na década de 1990, somente nos últimos dois anos o New Weird Fiction começou a ganhar atenção no Brasil, através de ações táticas de jovens autores, pequenos editores e também escritores premiados, como Nelson de Oliveira.

20h Encerramento do dia: performance com os VJs Wandeclayt M.Lady A – exibição de remixes de clássicos da ficção científica ao som de música eletrônica.
*

Este é mais um daqueles eventos que quem puder, não deve perder! A programação está muito boa!

É uma pena que não tenho como ir. T_T Bem que podia rolar um streaming…

História em quadrinhos é destaque em Floripa

5 Ago

No próximo sábado, dia 14/08, a capital catarinense sedia o HQCon, no Floripa Music Hall, das 10 às 19 horas.

No evento, profissionais e pesquisadores irão palestrar sobre diferentes temas envolvendo os quadrinhos. Também haverá apresentação musical e concurso de cosplay. O ingresso custa 15 reais, para quem não for fantasiado, e 10 reais para quem for com cosplay.

Mais informações você adquire no site ou pelo email: contato@hqcon.com, e também pode acompanhar  pelo twitter: @HQCon.


Programação HQCon

O Brasil no caminho das Animações – 10h até 11h 30min.

Palestrantes:

AnimaKing – é hoje o maior estúdio de animação na área de stop-motion no Brasil, seu filme Minhocas é pioneiro no país ao utilizar a técnica stop-motion em longa-metragem.

Cafundó Estúdio Criativo – é um estúdio de design digital focado em motion graphics, animação, ilustração e soluções para novas mídias, estão participando do Anima Mundi 2010 na categoria portfolio com o filme “Jardim das Delícias”.

Quadrinhos autorais – 11h40 até 12h40.

Palestrantes:

Pedro Franz – quadrinista e designer gráfico autor da HQ “Promessas de amor a desconhecidos enquanto espero o fim do mundo”.

Cadu Simões – historiador e estudante de grego antigo, vencedor do HQMix como roteirista revelação e membro-fundador do coletivo de quadrinistas independentes Quarto Mundo.

Daniel Esteves – historiador e roteirista, vencedor dos prêmios HQMix e Angelo Agostini e professor de quadrinhos, diretor da escola HQ em Foco e membro do conselho do coletivo.

Felipe Meyer – publicitário, redator e roteirista de quadrinhos, editor do Jornal de Debates e indicado ao troféu HQMix pela revista independente Contos da madrugada.

Influências da história em quadrinhos na educação – 12h 50min até 13h 40min.

Palestrantes:

Clóvis Geyer – ex-chargista do Diário Catarinense, quadrinhista e professor da Udesc.

Erico Assis – colaborador do site Omelete e tradutor de HQ.

Diego Moreau – mestre em Ciência da Linguagem (História em Quadrinhos) e professor universitário na Estácio de Sá Santa Catarina.

Intervalo – 13h40 até 14h10

Show e Apresentações

HQ é Multimídia – 14h10 até 15h10.

Palestrantes:

Eddy Barrows – desenhista exclusivo da DC Comics (editora estadunidense de histórias em quadrinhos e mídia relacionada) desenhou Novos Titãs, Lanterna Verde e é o atual desenhista do Superman.

Erico Assis – colaborador do site Omelete e tradutor de HQ.

Gabriel Rocha – jornalista e fã de HQs desde antes de saber ler, autor do site Quadriteca.

Ricardo Jahn – publicitário, louco por HQ e colaborador de conteúdo do site Hagah.

Desfile Cosplay – 15h10 até as 16h

Concurso Cosplay + Show

HQ e Música – 16h até 17h

Palestrantes:

Mario Luiz C. Barroso – atual tradutor da linha de super-heróis da Panini Comics, jornalista, ex- editor da linha de super-heróis da editora Abril.

Rafael Soares Duarte – professor de Literatura formado em Letras pela FURG-RS é mestrando em Teoria da Literatura na UFSC, com pesquisa sobre Watchmen.

Daniel Soares Duarte – professor de Literatura formado em Letras pela FURG-RS é mestre em História da Literatura e doutorando em Teoria Literária.

Jam Session – 17h às 17h30min

Mario Luiz C. Barroso + Rafael Soares Duarte + Daniel Soares Duarte

De Maurício a Clark – Artistas Made in Brazil – 17h 30 min até 19h

Palestrantes:

Ricardo Manhães – desenhista, que atua no mercado europeu e um dos autores do álbum MSP + 50, segundo volume da homenagem ao cinquentenário de carreira do criador da Turma da Mônica.

Eddy Barrows – desenhista exclusivo da DC Comics (editora estadunidense de histórias em quadrinhos e mídia relacionada) desenhou Novos Titãs, Lanterna Verde e é o atual desenhista do Superman.

Erico Assis – colaborador do site Omelete e tradutor de HQ.

Mario Luiz C. Barroso – atual tradutor da linha de super-heróis da Panini Comics, jornalista, ex- editor da linha de super-heróis da editora Abril.

%d bloggers like this: