Dicas para apresentação de trabalhos acadêmicos

Na semana passada, juntamente com meu grupo de pesquisa, o CULTPOP, gravei um vídeo com dicas para quem está começando a participar de eventos acadêmicos e está perdido na criação e apresentação de seu trabalho. São dicas rápidas, básicas e simples.

Alguns dos exemplos dados são focados no I Simpósio Cultpop, que acontece em 31 de outubro e 1 de novembro de 2019, na Unisinos – campus Porto Alegre. Mas mesmo assim, é bastante válido para todos acadêmicos, especialmente os da área da Comunicação.

Tendências do marketing digital na Maratona Digital 2019

A Maratona Digital, realizada pela agência Fabulosa Ideia, ocorreu neste final de semana (25 a 27/10/2019) em Porto Alegre e vim aqui compartilhar algumas novidades e tendências para o próximo ano no marketing digital.

mararatona digital 2019 porto alegre

VÍDEOS
Uma das grandes tendências no momento é o vídeo. Nos últimos 5 anos, o consumo de vídeos na internet aumentou 165%, sendo a maioria acessada pelo celular.

YOUTUBE – Para se ter noção do seu impacto, o YouTube fica atrás apenas do Google atualmente como plataforma usada para buscas. Então, produção de vídeos nessa plataforma é uma boa pedida para quem quer aparecer (rankear) e crescer na internet produzindo conteúdos de qualidade. A plataforma está também disponibilizando stories para algumas pessoas desde o ano passado, indicando que diferentes formatos de vídeos são relevantes.

INSTAGRAM – O Igtv tem crescido muito, dando 20% a 30% mais de entrega na plataforma. E agora os vídeos também podem ser feitos na horizontal. Os especialistas advertem, no entanto, que a duração não deve ser longa, entre 1:20 a 3 minutos, e indicam que para os stories, uma boa média é de 30 por dia. Menos de 1 minuto é o tamanho para vídeos no feed. Stories estão fortes, mas se seu objetivo é aumentar seguidores, o ideal é focar no feed. Uma média de 10 posts por semana é o ideal. Tenha cuidado apenas pra não cair na vaidade da métrica: pode rolar menos likes, mas o alcance aumenta (por volta de 15%).

TIK TOK – A rede social que deve crescer no Brasil é o Tik Tok. Criada em 2016, no momento ainda é ocupada mais por adolescentes, mas está crescendo muito nos Estados Unidos e os especialistas recomendam já fazer seu cadastro pra garantir seu username para quando a rede bombar no Brasil.

Eu já tinha ouvido falar, mas somente agora baixei o app, e confesso que achei divertidíssimo os vídeos, assim como bacana os recursos de gravação. Ela não segue uma lógica de imediatismo de um story, pois tem melhores possibilidades de edição e efeitos. Ainda é voltada para vídeos pequenos (formatos variam de 15 segundos a 5 minutos), mas apresenta um sofisticamento na produção de vídeos caseiros por não-profissionais do audiovisual.

 

ÁUDIOS 

Com a mobilidade crescente nas cidades, podcasts estão em alta, pois se o vídeo que requer mais atenção para o assistir, os áudios podem ser ouvidos inclusive quando as pessoas estão trabalhando. 

Áudios em blog também têm sido um recurso empregado pelos produtores de conteúdo, sendo uma forma de a pessoa ouvir o conteúdo ao invés de lê-lo.

Investir nesses formatos é uma boa conforme seus interesses.

 

EM BAIXA
O Facebook está com uma entrega ruim, por volta de 1%, mas ainda é relevante para anúncios e por sua plataforma, pois possibilita produzir para o Instagram (anúncios, agendamento de posts). Entretanto, o “textão”, apesar de algumas reclamações, gera engajamento, pois o leitor fica curioso pra saber o que está escrito.

O Twitter está cada vez mais voltado para nichos bem específicos, e funciona de forma geral melhor para estratégias de acontecimentos em tempo real. Portanto, dependendo do objetivo pode ou não ser uma boa aposta.

 

ENGAJAMENTO DA AUDIÊNCIA ATRAVÉS DA COMUNIDADE

Uma palavra que vi se repetindo muito nas palestras é comunidade. A ideia de engajar, conectar com a audiência é muito forte. Não basta produzir para distribuir, mas criar uma relação com seus seguidores. Alguns exemplos nas palestras relatavam que é melhor você fazer parcerias com amigos, pessoas do mesmo nível que você, dar espaço para os seus seguidores muito mais do que buscar influenciadores maiores que você. Ou seja, foque em microinfluenciadores.

 

POSSÍVEIS TENDÊNCIAS EM 2020

Além da questão do vídeo apresentada acima, para o ano que vem, devido às olimpíadas no Japão, a mídia deve ficar repleta de conteúdos voltados para o país e sua tecnologia (smart cities, e-sports, robôs, tecnologia háptica). Espere e produza conteúdos condizentes. 

Além disso, a produção de conteúdo nas plataformas de redes sociais deverá ganhar mais facilidades com conteúdos programados, pois o Google anunciou que irá disponibilizar uma ferramenta gratuita pra programar posts.

SOBRE A MARATONA EM SI…

Gostei bastante da maioria das palestras. Achei fantástica a seleção de palestrantes: desde pessoas mais jovens, mais experientes, professores universitários, grandes empreendedores, homens e mulheres de diferente regiões do país. Alguns trouxeram conteúdos mais pontuais, com dicas bem diretas, outros trouxeram conteúdos mais teóricos, trazendo cenários mais complexos, resultando num bom equilíbrio entre todos. É claro que sempre tem aquela palestra que a gente se interessa mais que outra, mas de uma forma geral o panorama foi bem completo.

Algo que fica muito latente quando saímos de eventos como esse é a vontade de sair produzindo e experimentar novos desafios. Uma palestra que gostei bastante foi a da Ana Tex. Primeiro que uma mulher se destacando já merece louvor, mas o melhor mesmo é que sua fala foi bastante inspiradora e tangível. Com o tema “Influência digital para você e seu negócio”, ela trouxe casos de diferentes empreendedores que cresceram ou mudaram suas vidas e negócios ao focar nas redes sociais. Entre os exemplos estavam pessoas que resolveram não focar na vergonha de aparecer e mesmo que tinham medo da represália devido ao seu sotaque. 

maratona digital 2019 porto alegre público

Em compensação, algumas falas de palestrantes homens me desagradaram por trazer tópicos como vulnerabilidade e só focar em mulheres chorando para destacar que pode ser uma vantagem mostrar essa faceta ou então ao fazer uma voz afinada imitando mulher para exemplificar problemas. Ambos os casos poderiam ter exemplificações TAMBÉM de homens. E acredito que seja até muito mais inovador mostrar vulnerabilidades de homem, por exemplo. Ao comentar com algumas colegas, elas também destacaram que não gostaram muito de só ver mulheres na divulgação com influenciadores. Enfim, detalhes que podem passar batido no dia-a-dia mas que precisamos apontar para combater o machismo estrutural. 

Mas concluindo, valeu muito ter participado! Para quem tem curiosidade, a programação completa da Maratona Digital 2019 está aqui.

Fanthum: Ficção Especulativa em Debate

Para quem gosta de literatura especulativa e de fantasia, o próximo sábado deve ser reservado na agenda, pois acontece o Fanthum: Ficção Especulativa em Debate!

Organizado pela coordenação e alunas da Escrita Criativa da PUC/RS, o evento pretende “promover debates sobre as literaturas de fantasismo através de encontros com convidados”, estabelecendo diálogo entre a ficção especulativa e a academia brasileira.

evento fanthum - literatura fantástica - literatura especulativa - palestra as figurações do fantástico na literatura popular feminina - Giovana Carlos

O primeiro palestrante é o roteirista norte-americano Christopher Kastensmidt, que falará sobre o folclore brasileiro na criação literária. Radicado em Porto Alegre desde 2001, é roteirista principal do desenho animado “Starlit Adventures” (em produção) e outros projetos de desenhos e games. Também é autor de livros, contos e quadrinhos publicados em vários idiomas. Sua obra mais conhecida é o mundo ficcional “A Bandeira do Elefante e da Arara”, cujas histórias renderam uma indicação para o Prêmio Nebula (EUA) e vários outros prêmios. Foi fundador do Concurso Hydra e cofundador da Odisseia de Literatura Fantástica, além de lecionar no curso de jogos digitais da UniRitter.

Após, falarei sobre as figurações do fantástico na literatura popular feminina, apresentando parte da minha pesquisa para a tese de doutorado, que envolve a literatura produzida e lida por mulheres. Para quem não me conhece, sou doutora em Comunicação pela Unisinos, jornalista e social media. Nos últimos anos venho realizando pesquisas que envolvem a cultura de fãs e, durante o doutorado, foquei na relação de fãs (influenciadoras digitais) com o mercado literário brasileiro. Ente 2017 e 2018, com bolsa da Fulbright, fiz parte da pesquisa em Chicago, onde pude também observar a realidade do mercado editorial norte-americano.

O evento é gratuito e acontece na Galeria Hipotética, em Porto Alegre.

Para quem quiser certificado, é só se cadastrar aqui.

A organização é de Bernardo José de Moraes Bueno, doutor em Creative and Critical Writing (University of East Anglia), Mestre em Letras (PUCRS), professor da Escola de Humanidades da PUCRS. Eduarda Abrahão de los Santos e Vitória Almeida Fonseca, mestrandas do PPG Letras – Escrita Criativa – PUCRS

Discutindo Quadrinhos no UNIQ

Esta semana participei da primeira edição do Universidade em Quadrinhos (UNIQ), que ocorreu nos dias 9 e 10 de maio, na UFRGS.

A programação contou com várias mesas focadas em diferentes aspectos e etapas da produção de história em quadrinhos, com convidados importantes no cenário nacional e internacional das HQs.

IMG_1159

Foi muito legal poder conhecer novos talentos e pessoalmente algumas figuras que só conhecia através do trabalho, além de aprender sobre os detalhes de bastidores de quem trabalha nesse meio. É relevante destacar que a pesquisa envolvendo HQs também foi tema de uma mesa, gerando uma discussão para o uso de Quadrinhos em outros ambientes como a sala de aula e em projetos assistenciais.

IMG_1343
Mesa “Pesquisar quadrinhos”

Na sexta (10/05), fiz a medição da mesa “editar quadrinhos”, na qual foi possível ver as diferentes experiências e realidades de cada um dos convidados. Um ponto que me foi muito aparente é como o mercado de Quadrinhos demanda um certo empreendedorismo, isto é, do profissional criar projetos próprios e executá-los por conta própria. JM Trevisan, por exemplo, destacou como sua experiência com crowdfunding (financiamento coletivo em plataformas digitais) foi um dos mais bem sucedidos no país, embora não se fale muito nisso.

mediação universidade em quadrinhos uniq Giovana Santana Carlos
Mediação da mesa “Editar quadrinhos”

O evento também inaugurou a exposição “William Blake – O Matrimônio de Céu & Inferno”, obra de Enéias Tavares (roteiro) e Fred Rubim (desenho), que adapta em quadrinhos a obra do poeta e pintor fantástico.

exposição william blake enéias tavares e fred rubim

A visitação é gratuita e pode ser feita até o dia 10 de julho, de segunda a sexta das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h, na Sala Fahrion, na Reitoria da UFRGS, em Porto Alegre.

 

 

Sobre a FSN Conference e eventos acadêmicos sobre fãs

Nesta sexta, o grupo de pesquisa CultPop da Unisinos, do qual pertenço, vai realizar o encontro “15 anos de Estudos de Fãs no Brasil”. Pensando na data e refletindo sobre essa área no nosso país, resolvi fazer um resumo breve sobre a nossa participação num dos mais importantes eventos internacionais de estudos de fãs.

15 anos

Continue reading “Sobre a FSN Conference e eventos acadêmicos sobre fãs”

Eventos literários em julho/16

02 de julho – Lançamento do livro: O Despertar do Lírios, de Babi A. Sette

O encontro acontece na livraria Cultura do shopping Bourbon Country, às 15 horas.

A autora estará presente e haverá sorteio de muitos brindes legais, como os da foto abaixo.

Quem quiser mais informações, é só acessar a página do evento em:

https://www.facebook.com/events/618820224937352/?ti=icl

23 de julho – Sacudindo a Literatura: vamos falar de thrillers? 

Informações: https://www.facebook.com/events/234854976895659/?ti=icl

(Assim que voltar de viagem eu escrevo melhor essa agenda, mas o aviso está dado para ninguém ficar desinformado e já ir se programando!)

Eventos literários em junho|16

Bom, como alguns me pediram, vou começar a divulgar aqui no blog os encontros envolvendo livros, autores, editoras e afins desse mundo literário que estão acontecendo aqui em Porto Alegre. Não estranhe se alguns são mais voltados à cultura pop, e você só conhecia pelo filme, porque é mais comum do que parece.

Este mês, junho, já aconteceram alguns, como o encontro sobre o autor David Levithan e o Mochilão da Record, mas ainda dá tempo pra ir em outros, para quem se interessar:

Continue reading “Eventos literários em junho|16”

Mochilão Record 2016 – PoA

No último domingo, 5 de junho, aconteceu na livraria Cultura do shopping Bourbon Country, em Porto Alegre, o Mochilão Record. O evento que acontece em várias capitais do Brasil tem esse nome, pois os organizadores pedem para levar mochila porque os participantes ganham muitos livros de brinde, além dos sorteios e descontos acontecendo na livraria com os títulos da editora. Eu só ganhei o que está na foto abaixo, mas muitos saíram de lá com mais livros e duas sortudas ganharam “cheque-livros” no valor de 250 reais cada.

Continue reading “Mochilão Record 2016 – PoA”

Como uma fênix…

É, pessoal, eu deixei esse blog meio abandonado pelos últimos anos. A única coisa que ainda postava era na página de Produções Acadêmicas, na qual fui atualizando meus artigos. 

Por um lado, esse abandono foi resultado do meu afastamento das redes sociais. Tinha uma época em que ficava direto no Facebook, Twitter e outras que nem estão mais por aí. E mesmo esses foram mudando e se transformando de forma que fui desapegando mesmo. Twitter é um exemplo. Ainda estou lá, mas não utilizo tanto. O Facebook é o que mais mantenho, mas posso passar dias sem acessar. Fora isso, outras obrigações e mudanças de cidades me fizeram concentrar em outras coisas. Afinal, fazer blog, escrever para a internet não é tão simples assim. É um trabalho que muitos seguem por hobby, por gostar. E em algum momento isso foi perdendo a graça pra mim.

Entretanto, estou querendo voltar a escrever aqui no blog há algum tempo. Desde que entrei no Doutorado ano passado (2015), estou querendo escrever sobre questões acadêmicas e sobre o mundo pop em que vivo. Mas, até me acostumar com o volume de leituras e trabalhos, fora outros problemas que tive como de saúde, lá se foi quase 1 ano e meio só no ‘querer’.

No último mês, ao me rodear de pessoas que estão blogando e que compartilham de gostos como eu, essa vontade de voltar foi crescendo mais ainda. Um motivo é que acho que tenho coisas para falar que possam ser interessantes para outros (o que não estava achando antes também), de experiências que possam ser significativas de serem externadas e, mais que isso, de falar sobre coisas que talvez nem todos conheçam. 

Mas, o que esperar do blog agora? Nos próximos meses pretendo escrever sobre a vida acadêmica (o que não é exatamente novidade, mas pela perspectiva de uma doutoranda, sim), escrever sobre leituras que estou fazendo e minha pesquisa, a qual leva para outro ponto. Também irei escrever sobre o fandom literário no Brasil, principalmente a partir do que estou presenciando aqui em Porto Alegre, através de encontros promovidos pelos fãs-leitores-blogueiros e editoras. Quem me acompanha pelo Facebook já deve ter visto algo, mas decidi vir aqui escrever mais sobre isso porque é um universo maravilhoso e nem todos conhecem. Eu mesma, enquanto fã, só fui descobrir recentemente. Então, preparem-se, porque nas próximas semanas, meses vou estar postando aqui sobre tudo isso e um pouco mais, seja como pesquisadora, seja como fã. 

A fênix está renascendo e espero que vocês gostem desse novo voo. Afinal, a gente nunca sabe quando ela volta a morrer! Hahahahaha! 😉

Das pinturas rupestres de Lascaux: uma viagem pelo universo dos quadrinhos

Após muito tempo de espera, é com muito orgulho que apresento para vocês essa obra sobre Histórias em Quadrinhos, na qual contribuo com um artigo em coautoria com a profa. Dra. Adriana Amaral. Nele discutimos a questão do “mangá brasileiro”, ou HQs brasileiras “em estilo mangá”, através da Turma da Mônica Jovem, de Mauricio de Sousa.

Quem tiver interesse em adquirir a obra é só entrar no site aqui.

 

Das pinturas rupestres de Lascaux

Sumário
7 Apresentação

14 Caracterizando o “estilo mangá” no contexto brasileiro: hibridização cultural na Turma da Mônica Jovem
Adriana Amaral e Giovana S. Carlos

35 Um breve olhar teórico sobre histórias em quadrinhos
Álvaro Hattnher

48 Krazy Kat, de George Herriman – o que aquilo significa?
Antonio Vicente Seraphim Pietroforte

66 Quadrinhos em The Big Bang Theory: a construção de um imaginário nerd
Arnaldo Pinheiro Mont’Alvão Júnior

75 Tiras da Mafalda: um estudo enunciativo
Daniela Raffo Scherer

98 Histórias em Quadrinhos Poético-filosóficas inspiradas por perspectivas Pós-humanas
Edgar Franco

120 A quinta história: três versões de As metamorfoses
Edgar Cézar Nolasco

137 O caso Superman/Matrix: uma Experiência Transmídia de Fronteira
Fábio Fernandes

152 Vida em quadrinhos: uma análise autobiográfica de O sonhador e No coração da tempestade
Leilane Hardoim Simões
Edgar Cézar Nolasco

169 Digicomics: histórias em quadrinhos da Marvel on-line
Quelciane Ferreira Marucci
Edgar Cézar Nolasco

181 Estereoscopia e relação objetal em x-men: significação no quadrinho 3d
Renan Carvalho Kubota 

199 Os brasileiros (apocalípticos e integrados) que leram o Pato Donald
Rodolfo Rorato Londero